Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Prlinpinpin...

Pózinho daqui... Pózinho dali...

Prlinpinpin...

Pózinho daqui... Pózinho dali...

Ora vamos lá voltar a isto!

Cá estou eu para tentar por o cérebro a funcionar e contar, então, como tudo se passou.

Ora na 5ª feira dia 15 de Abril, lá fui eu a mais uma consulta materno-fetal em Stª Maria. - Enfermeira - CTG com algumas contracções, mas nada de especial, peso igual, tensão ok, tirinha de xixi ok.

Passando à Médica, diz-me muito admirada que não acreditava que ainda ali andava, ao que respondi que nem eu, pois desde as 36 semanas que me dizia que estava por um triz, mas na realidade devia ser um fio de aço!

Lá-me encaminhou para a marquesa e acrescentou, mais uma vez, ao toque o descolamento de membranas.

Lá vim eu embora ainda um cadito torcida. O Gil deixou-me, como de costume, na estação de comboio e lá vim eu. Mas a meio da viagem ja as contracções começavam a apertar comigo, se bem que ainda espaçadas.

Achei melhor não ir para casa sozinha e resolvi ficar no trabalho da minha mãe, almocei por lá, avisei o Gil e o meu pai e lá fui tendo atenção às ditas cujas!

Eram 16 e tal lá liguei ao Gil para ir ter ao hospital e pus-me a caminho com o meu pai. Chegámos por volta das 17, fiz CTG reactivo com contracções de 5 em 5 min, e dilatação de 2 cm. A médica mandou-me andar 1 hora e foi o que fiz. Passada essa hora voltei e para meu espanto, desapareceram os médicos todos, esperei até as 22.30 até que perguntei  a ma auxiliar se ja tinham chegado ou não porque não me apetecia parir na sala de espera; Lá se fez luz  e apareceu uma médica que me internou. Eram 23 horas e subi para o piso dos partos acompanhada pelo Gil  e o meu pai lá foi para casa.

E lá ficamos os dois na sala de dilatação ora a rir, ora a conversar, ora calados em formato pal-plus. os nervos apertavam muito comigo, mas esforçava-me para não o mostrar (a razão fica para outro post). E finalmente ás 6.45 da manhã o David revolveu nascer com 3.360gr  49 cm, respirou,  chorou em plenos pulmões e mostrou-nos que já é um lutador e que chegou para vencer!(o tal post)

Foi um parto mais complicado do que o primeiro, e tenho consciencia que em parte se deveu ao meu nervosismo. Mas o meu David cá esta ao pé de mim, e valeu a pena!  

3 comentários

Comentar post